{5 Livros} Pé na bunda!

penabunda

Atire a primeira pedra aquele que nunca levou um pé na bunda! Ou aquele, que nunca teve o seu coração partido </3. Quase impossível, não é mesmo? Inclusive a blogueira que vos escreve, acabou de levar um belíssimo pé na bunda, trágico, eu sei. Pensando nisso, separei 5 livros, que todo ser que tomou aquele belo pé na bunda, deveria ler. Confiram!


Antes de qualquer coisa, gostaria de dizer que os livros que serão citados, não são com o objetivo de auto ajuda, ou mesmo de te deixar na fossa, são apenas livros que trazem o tema ( ou não), de uma forma leve e divertida, que vai fazer você relaxar e enxergar as coisas de um outro ângulo. Dito isso, vamos aos livros:

melancia

 

Melancia é um romance sobre a arte de manter o bom humor mesmo nos momentos mais adversos. Com 29 anos, uma filha recém-nascida e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais de gravidez, como, digamos, um canal de nascimento dez vezes maior que seu tamanho normal! Nada tendo em vista que a anime, Claire volta a morar com sua excêntrica família: duas irmãs, uma delas obcecada pelo oculto, e a outra, uma demolidora de corações; a mãe viciada em telenovelas e com fobia de cozinha; e o pai, à beira de um ataque de nervos. Após passar alguns dias em depressão, bebendo e chorando, Claire decide avaliar os prós e os contras de um casamento de três anos. É justamente nessa hora que James, seu ex-marido, reaparece. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa.

A maioria das pessoas tem uma relação de amor&ódio com esse livro, e eu explico. A escrita da Marian, não agrada a todos. Em alguns momentos o livro se torna cansativo, mas ainda assim, vale a pena. Divertido e com muitas pitadas de realidade, para alfinetar o coração, é uma boa dica para a fase do pé na bunda.


Vocês conhecem aquele instante, bem no final de um relacionamento, quando todos os nossos amigos se reúnem em torno de nós e dizem uma porção de coisas aborrecidas, como “Tem muito homem por aí” e “Ele jamais a faria feliz”. Bem, quando eles chegam ao trecho sobre “Com o tempo tudo isso passa”, tente lutar contra seu impulso inicial de dar um soco no olho de cada um. Não faça isso, porque é realmente verdade. Eu era uma prova viva disso.

diario

Escrito na forma de diário, o romance relata um ano na vida de Bridget Jones, uma solteira de trinta e poucos anos, que luta com todas as forças para emagrecer, encontrar um namorado depois de ter tido grandes decepções amorosas, parar de beber e largar o cigarro. Bridget trabalha em uma editora, mora sozinha, é apaixonada por seu chefe e cultiva o hábito de conversar com amigas que, em torno de uma mesa de bar, sempre têm soluções teóricas para todos os problemas.

Ah querida Bridget! Quem nunca viveu um momento como esse? Nem preciso dizer que é pura diversão e dor de cotovelo. Claro, que milhares de vezes as trapalhadas da mocinha, me tiraram do sério, mas o fato é que, as lágrimas foram substituídas por risos. Super indico, inclusive o filme!

Por que será que, quando uma pessoa está largando seu marido/mulher, acha que é melhor fingir que não é por causa de outro/a ? Será que acham que é menos doloroso para o parceiro pensar que vão se separar só porque não conseguem mais suportá-lo e então duas semanas depois terem a sorte de encontrar um tipo alto, estilo Omar Sharif com bola masculina, enquanto o ex-parceiro passa as noites aos prantos cada vez que vê o copo de escovas de dentes. É como aquelas pessoas que, em vez de dizerem a verdade, inventam uma mentira para se desculpar, quando a verdade é melhor do que a mentira.

antes que eu vá

 

Samantha Kingston tem tudo que uma garota de sua idade pode querer: o namorado perfeito, três amigas fantásticas e é, provavelmente, a menina mais popular de seu colégio. Mas aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, que seria mais um dia perfeito, acabou sendo o último. Porém, a garota ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. E ao reviver aquele dia seguidas vezes, Sam desvenda o mistério de sua morte, mas também percebe que sua vida estava de ponta cabeça: ela dava o valor errado para as coisas a sua volta.

Ao ler o livro, é possível perceber alguns erros que também cometemos, pois, às vezes, damos um valor exagerado para algo que não merece tanta preocupação, enquanto deixamos de lado coisas muito especiais. Bem próximo da realidade, não? Eu me identifiquei de uma maneira, que não saberia explicar </3.

É impressionante como as coisas mudam com facilidade, como é fácil começar na mesma estrada que sempre pega e parar em um lugar novo. Um passo em falso, uma pausa, um desvio, e você acaba com novos amigos, uma reputação ruim, um namorado, ou um término de namoro. Nunca me ocorreu antes; nunca pude enxergar. E me faz sentir, estranhamente, como todas essas possibilidades existissem simultaneamente como se cada momento que vivemos contivesse milhares de outros momentos diferentes.

poriso

Por isso a gente acabou trata, com a comicidade típica do autor, de uma situação difícil pela qual todos um dia irão passar: o fim de uma relação amorosa e toda a angústia, tristeza e incerteza que essa vivência pode gerar. Min Green e Ed Slarteron estudam na mesma escola e, depois de apenas algumas semanas de convívio intenso e apaixonado, acabam o namoro.
Depois de sofrer muito, Min resolve, como marco da ruptura definitiva, entregar ao garoto uma caixa repleta de objetos significativos para o casal junto com uma carta falando sobre cada um desses objetos e do episódio que ele representou, sempre acrescentando, ao final, uma nova razão para o rompimento. Essa carta é o texto de Por isso a gente acabou, que é, assim, carregado de um tom informal e tragicômico – características da personagem – e traduz com um misto de simplicidade e profundidade a história de uma separação.

Esse livro é muito divertido de ler, e também é uma leitura muito rápida. A protagonista é irônica,  e o fato de possuir diversas ilustrações, deixa tudo mais interessante. Talvez esse seja o  melhor livro dentro do assunto citado.

Eu queria a tarde inteira, a noite inteira, cada segundo de cada minuto com você, Ed. Que merda, acho que eu já te amava. Condenada, como uma taça de vinho sabendo que um dia vai cair, sapatos que logo vão ficar gastos, a blusa nova que você logo vai sujar.

devolta

 

Cassie Madison fugiu de Walton, Geórgia, para Nova York quando soube que sua irmã, Harriet, e seu amor, Joe, tinham-na traído e iam se casar. Ao chegar em Manhattan, sua ideia era se reinventar, mergulhar de cabeça na carreira e até mesmo perder o sotaque provinciano. Tudo para apagar seu passado marcado pela traição e por uma família que não lhe tratara com o devido cuidado.
Mas, numa noite, um único telefonema de sua irmã trouxe de volta tudo que ela pretendia esquecer. Com o pai muito doente, ela foi obrigada a fazer a viagem de volta e, enquanto arrumava as malas, seus maiores medos eram que o pai morresse sem que ela pudesse estar com ele e… encontrar a família feliz que Harriet e Joe tinham construído.
Já em Walton, Cassie percebe que enfrentará uma imensa batalha particular, porque, afinal, ela não consegue deixar de amar seus sobrinhos — e nem deixar de se sentir em casa, naquela cidadezinha de sua infância.
Enquanto se divide entre o rancor e a esperança, velhas e queridas lembranças e uma mágoa insustentável, o destino arrumaria uma forma de aproximá-la do que realmente importa: o verdadeiro amor.

Esse livro, foi uma grata surpresa. Li ano passado, e me apaixonei de uma maneira intensa e verdadeira. Mágoa, rancor, arrependimento e perdão. Se eu indico? Mil vezes, inclusive, tem resenha dele aqui no blog.

— Talvez haja somente um amor para cada um na vida. E, quando se perde esse amor, acabou. Não há outra chance. É possível esperar a pessoa estar livre de novo e ter esperanças de que ela retribua o amor. Mas isso é apenas uma possibilidade.


Então é isso galera, espero que tenham gostado e que ninguém esteja passando por essa fossa louca em que eu me encontro. De qualquer modo, são livros divertidos, e incríveis, vale a pena a leitura em qualquer fase da vida. 

http---signatures.mylivesignature.com-54493-207-D364FBF14B6AE2645DD79C5F8014E1A3

Anúncios

7 comentários sobre “{5 Livros} Pé na bunda!

  1. Oiii Carol!!
    Olha, pega se pé na bunda que você levou e faça de impulso para conquistar novos corações. 😉
    Desses livros citados, não li nenhum, eu tenho Melancia enchendo de poeira na minha estante há um tempinho, mas até hj não tive mta vontade de ler. Os outros livros eu conheço só de capa haha tem uns até que eu quero ler!! Valeu pela dica, achei esse post mto legal! ❤
    Beijinhos!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s