Livros que me marcam.

Livros que me mudaramSabe quando você começa a ler um livro e quando termina, sente – se como se tivesse acabado de passar por uma incrível experiência para a vida? Aquele livro que mudou a sua percepção  sobre o amor, sobre a dor, sobre escolhas, pessoas, sobre a vida? Pois é, dizem que depende do momento, do que o livro se trata e de como ele se encaixa na sua vida no momento. Mas, eu penso que vai além disso. Alguns livros, independente do momento em que você esteja vivendo, simplesmente te tocam. Por isso, separei cinco livros com os quais eu aprendi um pouco mais sobre a vida.


Como Eu Era Antes de Você – Jojo Moyes

“Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.” Se esse é meu livro favorito da vida? Sim. Se eu chorei igual uma criança?Sim. Se eu aprendi muito com esse livro? Com toda certeza do mundo. Sou completamente suspeita para falar desse livro,  porque eu não sei em que momento exatamente eu aprendi mais. Eu comprei esse livro por acaso e no escuro, fui passear com uma amiga na Saraiva, e ele estava em destaque pois tinha acabado de ser lançado. Achei a capa bonita, e o título interessante, decidi que não iria ler a sinopse, e comprei. E devo dizer, foi a melhor compra no escuro que eu já fiz na vida. Clark e o Will me ensinaram tanta coisa, que eu poderia passar uns dois dias só escrevendo sobre eles. Eu chorei por amor, chorei de raiva, de tristeza. Eu sorri com cada acerto, gargalhei com a Clark e suas loucuras, senti raiva do mau humor do Will,torci, impliquei, torci o nariz, não acreditei … até que finalmente entendi. Entendi e senti, senti tanto, que meus olhos transbordaram sobre as páginas que iam virando – se, até o fim. Aprendi sobre crescer, tomar as rédeas da vida, aceitar ( mas nem sempre) o que a vida lhe oferecer, Aprendi sobre o amor, sobre a dor, sobre decepção e sobre viver. Sobre o quão importante a nossa vida é, e ainda assim insistimos em perder tempo com coisas e ou pessoas, que em nada nos acrescentam. Agora tudo trata – se de como eu sou depois desse livro, estava em uma etapa importante da vida, e ele , foi maravilhoso no momento. Porém, descobri que não trata – se da fase, como havia dito, esse é um daqueles livros, que marcam de qualquer jeito, em qualquer fase. Prova disso, são minhas amigas, que sentiram tudo que eu senti, mesmo estando em outras vibes, outras vidas. Se você ainda não leu, leia. Mas, devo te avisar: prepare – se para ter seu coração despedaçado.


Extraordinário – R.J Palacio

“O livro conta a história de Auggie, um menino que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial. Em um manifesto em favor da gentileza, ele enfrenta uma missão nada fácil quando começa a frequentar a escola pela primeira vez: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.” Eu namorei esse livro por muito tempo, olhava e não comprava, estava numa fase muito intensa de romances, e qualquer coisa que não fosse romance, me entediava. Aí um belo dia, meu namorado chegou com o livro e meu deu de presente, então eu pensei: Okay, está na hora de ler. E, Deus, me pergunto por qual motivo demorei tanto para iniciar a leitura. O Auggie narra tudo de maneira tão inocente e ao mesmo tempo, tão consciente, que por vezes esquecia que ele era apenas uma criança. O (pre)conceito abordado através dos olhos dele, me fez sentir ainda mais. Você pensa, ele é apenas uma criança, não deveria estar passando por tudo isso. E aí vem o aprendizado. A maneira como ele conduz, as coisas que ele diz e até mesmo a forma que os adultos, lidam com tudo isso traz crescimento, e aprendizado. O livro trouxe a reafirmação de que, ser diferente não é ruim, o respeito e o cuidado deve existir, sempre. Um livro que faz jus ao nome, leiam e sintam – se encantados com Extraordinário.


O Lado Bom Da Vida – Matthew Quick

“Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele ‘lugar ruim’, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um ‘tempo separados’. Tentando recompor o quebra-cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com o pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida.”  O filme estava no auge quando eu comecei a ler esse livro, e ouvia todos os tipos de spoilers possíveis, então quando comecei a ler, achei que já sabia toda a história. E eu estava completamente errada. A história é sobre  duas pessoas que passam por problemas em suas vidas pessoas, e que juntas vão tentar superar isso, certo? Errado. É um pouco mais complexo. Nós tempos coração partido, traição, perda e dor, muita dor, porém existe a forma como cada um encara e reage a essas situações. Eu li o livro em uma tarde, e me diverti com a sinceridade crua de Pat e me emocionei com a sua dedicação, para reconquistar a ex mulher. Ele fez tanto para tê -la, que acabou fazendo por si mesmo. A loucura de Pat, nos ensina tanto que citar apenas alguns ensinamentos, seria injustiça. E a Tiffany? Adorável e louca ( não tanto quanto o Pat) Tiffany. Quantas delas conhecemos? Quantas vezes não sabemos o que fazer com a dor, ou como encara – la? O desenrolar da história, nos mostra a vida crua, coisas que fazemos e dizemos para o outro e pelo outro, que nos afetam e nem percebemos, ou percebemos e ignoramos. Encantador, emocionante, marcante.


O Começo de Tudo – Robyn Schneider

“O garoto de ouro Ezra Faulkner acredita que todo mundo tem uma tragédia esperando ali na esquina – um encontro fatal depois do qual tudo o que realmente importa vai acontecer. Sua tragédia particular esperou até que ele estivesse preparado para perder tudo de uma vez: em uma noite espetacular, um motorista imprudente acabou com a perna de Ezra, com sua carreira no esporte e com sua vida social. Depois que perdeu o favoritismo ao posto de rei do baile, Ezra agora almoça na mesa dos losers, onde conhece Cassidy Thorpe. Cassidy é diferente de qualquer pessoa que Ezra tenha encontrado antes – melancólica e com uma inteligência mordaz. Juntos, Ezra e Cassidy descobrem flash mobs, tesouros enterrados e um poodle que talvez seja a reencarnação do Grande Gatsby. À medida que Ezra mergulha nos novos estudos, nas novas amizades e no novo amor, aprende que algumas pessoas, assim como os livros, são difíceis de interpretar. Agora, ele precisa considerar: se uma tragédia já o atingiu, o que poderá acontecer se houver mais infortúnios? O Começo de Tudo é um livro poético, inteligente e de cortar o coração sobre a dificuldade de ser o que as pessoas esperam, e sobre começos que podem nascer de finais trágicos.”  Eu tenho essa coisa, de as vezes entrar na livraria e ”comprar no escuro”, é isso, eu olho para um livro, vejo o título e a capa, não leio a sinopse e apenas levo. E foi o que eu fiz com ” O começo de tudo”, não li sinopse e nem resenhas sobre, e quando comecei a ler, de cara levei um choque. Logo nas primeiras páginas somos notificados com uma tragédia! Imagine que você é popular, divertido, é um dos principais jogadores do time da escola e tem a mulher que desejar ter. Agora pense em perder tudo isso, em uma única noite. Tragédia! E assim o livro começa, nos apresentando o Ezra, e a sua nova vida, não tão popular assim, pelo menos, não pelos motivos que ele queria. Sabe o que mais me atraiu na capa do livro? A frase ” Quando o chão é tirado dos nossos pés, nem sempre temos a opção de cair.” Sabe quando encaixa? Eu não estava passando por nenhuma grande tragédia como as pessoas no livro, mas passava por um momento ruim, e a maneira como eles trataram a dor, decepção e as tragédias, me fizeram aprender que : nem tudo está perdido, todo fim é um novo começo, você nunca conhece realmente as pessoas e que a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional. Um livro sobre recomeço, descobertas, superação e tudo tratado com um leve divertimento. Marcou !


Os Sofrimentos do Jovem Werther – Goethe

“Os Sofrimentos do Jovem Werther – Precursor do romantismo alemão, este romance epistolar, publicado em 1774, causou uma onda de suicídios. A trágica história da paixão irrefreável de Werther pela bela Lotte expressa a sensibilidade da burguesia ascendente e o confronto entre sentimentos individuais e convenções sociais.”  Eu li esse livro em 2007, graças a minha professora de literatura. Quando ela citou o livro, ela nos disse: ” Na época em que foi lançado, muitos jovens suicidaram – se após a leitura.” E claro, a minha curiosidade falou mais alto, e embora ele não fosse leitura obrigatória, eu corri para ler. E Deus, todo mundo deveria ler. Quem nunca se apaixonou? Quem nunca fez das tripas corações por alguém? Assim é com o Werther. Porém, vai além disso, as palavras dele são carregadas de sentimento, euforia e logo depois de dor e muito sofrimento. Eu sei dizer que eu senti muito com esse livro, conheci um lado do amor que não é muito bonito. Conheci um lado do amor que machuca, que dói e confunde, como pode o amor destruir tanto? Me fez pensar nas escolhas que fazemos em nome do amor, da super valorização do outro e de, como por vezes, esquecemos de nós. Trágico, melancólico, dolorido e lindo. Como ele escreve sobre tudo que sente, comove, envolve, machuca … marca. Marcou!

Anúncios

2 comentários sobre “Livros que me marcam.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s